“Eu respirei uma bom dia melhor do que óntem e passei a acreditar que tudo aquilo que quero se encontra a um palmo da minha mão! Talvez os alongamentos praticados sejam de valia então… Logo logo eu alcanço meus objetivos!

Eu sinto sabor de novidade! Gosto de algo novo no ar!!! Lembra o gosto de morango com chantilly, ou melhor… lembra o gosto do teu beijo! Lembra algo bom! E eu acredito e sempre acreditei que a vida continua e vai continuar guardando surpresas! Boas e ruins! A rotina é a gente quem deixa acontecer! E eu prefiro ansiar pelas coisas boas e me focar nelas! Foi assim que aprendi! Foi assim que descobri que é possível ser feliz! O que faz mal, a gente põe uma pedra! [Ui! Desculpe-me, vou ter que colocar um bloco de concreto inteirinho por sobre você que não consegue me esquecer!]

Ao longo da vida eu coloquei muitas muitas pedras, e outras eu até fiz questão de pular! Coloquei pedra na dor que senti quando meu avô morreu, coloquei pedras em relacionamentos sonhados que acabaram de modo ruim [se bem que sempre fui eu quem terminei meus namoros, mas odeio finais, mesmo que mais felizes para mim!], coloquei pedras em brigas desnecessárias com irmãs, mãe e pai; coloquei pedra em falsas amizades, em decepções profissionais e em gestos de grosseria ou violência… e passei a dar destaque pras coisas em que eu via cor, sonho e possibilidade! PAREI DE CORRER ATRÁS do que não me merecia mais!

Tem gente que vive carregando o sofrimento do mundo no próprio umbigo! Sempre de cara amarrada como se tivesse engolido caroço de azeitona e tivesse ficando entalado na garganta! Pessoas que se negam a dar um bom dia, a contar piadas ou até mesmo rir de alguma que alguém conta! Tem gente que acha que seu sofrimento é maior que o do mundo inteiro (só pode não assistir o jornal! Só pode!)! E tem gente que ama se prender a sofrimento passado, pra chamar atenção, pra se fazer de vítima, de coitadinho e receber carícias e apoio! Tem gente que se coloca no papel de vítima pra conseguir aliados pra ficarem contra alguém que essa pessoa cisma que é o culpado pelos seus sofrimentos! E sabe como isso se chama??? “Cansei de ser enganado!”

Aham!!! Coisa de gente que não consegue assumir sua parcela de culpa nas mazelas que acontecem em suas vidas, que não tem humildade o suficiente pra encarar que talvez não tenha sido boa o suficiente pra manter seja lá o que for…um emprego, uma amizade, um namoro!

Já viu quanta mulher recalcada e sem amor próprio nesse mundo? Por exemplo: O namorado dela a traí, ela descobre e termina, mas ao invés de tomar raiva do babaca, ela fica com raiva é da outra que não tem NADA a ver com a história! Quem deve fidelidade a quem ai? E será que a outra, se estiver apaixonada, não tem direito de ser feliz sendo que ela não é nada da tal recalcada? Mas não!!! A traída, vulgo otária, ainda prefere ser amiguinha do traidor, vulgo sacana e ficar juntando migalhas de atenção ao invés de arrumar um bocado de amor próprio e ir viver a própria vida, sendo FELIZ! Mas, não… a partir daí já reparou que o objetivo da vida da maioria dessas pessoinhas pequenas de amor próprio é destruir a vida da “vagaba” que “roubou” seu namorado! Ora pois! Até eu acho muito mais fácil pensar “a vadia que deu em cima dele e, como homem é foda, ele não resistiu!” do que pensar “ele não me amava o suficiente e se envolveu com outra pessoa a ponto de se apaixonar por ela, e ele mesmo ter a iniciativa de correr atrás dela!”. É até compreensível a mania de tapar o sol com a peneira pra poder encobrir a dor!

Mas o que não é compreensível é essa falta de amor próprio, essa desvalorização de si mesmo e essa idéia fixa de que vingança é a melhor e única solução! (Até porque, muitas vezes o feitiço vira contra o feiticeiro e onde existe amor de verdade entre duas pessoas, não há mal que derrube.) É totalmente incompreenssível pessoas que se dizem amigas incentiverem as recalcadas a viverem remoendo e articulando vinganças relativas a algo que já passou, que não tem mais jeito nem volta atrás, e que não vai aliviar em nada a dor sentida; ao invés de serem amigas de verdade e incentiverem a busca da alegria, a redescoberta do amor próprio e a infinidade de novas possibilidades de se ser FELIZ! Não é compreenssível MESMO essa prorrogação da FELICIDADE! Será que tais pessoas que se fazem de vítima não percebem que poderiam estar vivendo e sendo felizes a muito tempo, se assim o quisessem! Tanta gente bacana nesse mundão de Deus, tanta oportunidade, tanto sorriso sendo distribuído e tem gente preferindo colher migalha de alguém que te enagnou, te traiu, te apunhalou pelas costas e agora te sorri por dó, por pena, por conveniência e obrigatoriedade de boa convivência, por que se sente em dívida ou até mesmo por insistência, por não ter jeito de fugir! Tanta gente correndo atrás de amizade que não vale a pena, de amor acabado ou não correspondido, de favores, de pistolão, de peixadas, de relações convenientes simplesmente pela INCAPACIDADE DE ACREDITAR DE VERDADE em SI MESMO!

Eu acredito em mim mesma! Eu não adio a minha felicidade POR NINGUÉM! Não há nada que valha mais a pena do que meu sorriso sincero vindo de coisas boas, e não de vinganças!

Quer um conselho? Tome nota… ACREDITE-SE também! Aposto que tu irias muiiiito mais longe!”
Texto escrito a um tempo atrás… por volta de outubro, novembro de 2006, quando eu vi que tinha gente se permitindo ser feliz com tão pouco!
Anúncios