Eu tenho sentimentos loucos, daqueles que vem e vão, estilo turbilhão.

No mesmo segundo eu posso te pedir certeza, afirmação, e logo depois te pedir que me surpreendas e que hajas sem razão. Não tente não, entender alguém que se deu ao luxo de não fazer o menor sentido! Já diz a música a muito tempo: “eu prefiro ser essa metamorfose ambulante, do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo”. E prefiro, prefiro mesmo!

Quem não muda de opinião parou no tempo! Quem não renova seus sonhos, morre de frustração! Quem não recicla pensamentos cansa de pensar em coisas que não fazem nem mais sentido. E eu não quero ser assim. Ontém está muito distante, ficou lá atrás na estrada!

Viver é verbo que se conjuga no presente! Não bastasse tanto, o próprio viver já é um presente. De Deus para mim. E mais ainda, de mim para mim mesma! Posso me dar ao luxo de aproveitar do que ganho ou posso simplesmente jogar esse presente pela janela sim! Minha escolha, minha tão grande escolha! E quer saber? Prefiro eu, como criança feliz, arregaçar as mangas, rasgar o embrulho do presente às pressas jogar o papel debaixo da cama pra ganhar sempre mais! E depois! USAR E ABUSAR de tudo aquilo que a vida me dá! Brincar, sonhar e sorrir, até cançar, e olhe lá!
Anúncios